segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Como o Estado (não) protege as pessoas e o património


Os exemplos de ineficiência do Estado português são infindáveis, como todos sabemos. Desta vez reclamamos atenção para dois casos retratados no último programa Sexta às 9 da RTP1 (pode ver aqui). O que travou o socorro às vítimas dos incêndios de Pedrogão Grande? Médicos e operadores do INEM quebram o silêncio e relatam falhas que provocaram demora no auxílio às vítimas e, em alguns casos, total falta de socorro (descrita no polémico capítulo VI do relatório de Xavier Viegas que tem sido sonegado aos cidadãos por parte do Estado). Sabendo que a negligência das Instituições públicas não se limita às pessoas, o Sexta às 9 também mergulha no caso dos dois navios recentemente descobertos no Rio Tejo, naufragados há mais de três séculos, perante os quais o Estado nada faz para preservar o património neles contido que conta, entre outras coisas, com 500 barris de madeira intactos que eram usados para transportar todo e qualquer tipo de mercadoria. 

Sem comentários:

Enviar um comentário